No WhatsApp, a acusadora estava irritada com a demora para fazer a denúncia. “Por que a gente não joga logo na mídia para acabar a carreira desse pipoqueiro de vez?

O ex-advogado de NAJILA TRINDADE MENDES DE SOUZA  que acusa o jogador Neymar de estupro, José Edgard da Cunha Bueno Filho, alertou a cliente, em carta, a respeito da mudança na versão sobre o que de fato aconteceu entre ela e o atacante ao registrar Boletim de Ocorrência. Segundo Bueno Filho, a mulher teria relatado à polícia uma história diferente da que havia contado no primeiro encontro com ele: a de que teria ocorrido agressão durante sexo consensual, e não estupro.

“Por raiva ou vingança, V. Sa. relatou no BO registrado em 31/05/2019 fatos descritos em desacordo com a realidade manifestada aos seus patronos, ou seja, compareceu à delegacia, relatando que teria sido vítima de estupro, quando, na realidade que nos foi demonstrada e ratificada por várias vezes, V. Sa. teria sido vítima de agressões”, escreveu o advogado. A informação foi dada pelo Jornal Nacional, da Rede Globo, nesta segunda-feira (03/06/2019).

“A relação mantida com Neymar Júnior foi consensual, mas que durante o ato ele havia se tornado uma pessoa violenta, agredindo-a, sendo esse o fato típico central (agressão) pelo qual ele deveria ser responsabilizado cível e criminalmente”, diz outro trecho da carta.

O advogado afirmou à emissora que ressaltou à cliente que a mudança da história poderia configurar denunciação caluniosa. Ele teria abandonado o caso pelo fato de, entre outros pontos, ter sua ética profissional colocada em dúvida pela cliente.

A carta é assinada pelos sócios do Fernandes e Abreu Advogados: José Edgard da Cunha Bueno Filho, Francis Ted Fernandes e André Castello Branco Colotto.

O Jornal Nacional também mostrou diálogos por WhatsApp entre NAJILA TRINDADE e Bueno Filho em que ela estaria irritada com a demora para fazer a denúncia. “Por que a gente não joga logo na mídia para acabar a carreira desse pipoqueiro logo de vez? Estou com raiva. Deveria tê-lo matado quando tive chance”, teria reclamado a mulher, que, em outro trecho do diálogo, chega a dizer que iria acionar o PCC (organização criminosa Primeiro Comando da Capital) contra o jogador.

O advogado disse a ela para ter calma, que o melhor era buscar um acordo. Um dos argumentos de defesa de Neymar é ter recebido uma tentativa de extorsão de um advogado para não levar o caso adiante. O pai do jogador não divulgou o nome de quem teria feito o pedido de dinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *